3 de dezembro de 2013

E dos 4 despedimentos na ETP Aveiro...

Depois de serem despedidos quatro trabalhadores na ETP Aveiro ( Porto de Aveiro ), por meio de  uma nota de culpa, veio agora a própria ETP propor  um acordo a estes trabalhadores.Não se avançou para julgamento, ficando assim valores que rondam os 70 mil euros, a indemnização a pagar aos quatro. De lembrar que a ETP continua em processo de insolvência. 

2 comentários:

joao carvalho disse...

The special ones

Sim, the special ones, aquelas pessoas especiais que nós vamos conhecendo durante a passagem por esta vida. Tenho o privilégio de conhecer pessoas especiais, umas no bom sentido da palavra, outras dessas pessoas são especiais na estupidez e parvoíce. São uns autênticos abutres em forma de pessoas, que vão tendo alimento a custa da ignorância de outras pessoas especiais que sempre souberam o que era trabalhar, e nunca tiveram tempo para pensar o porquê de tantos acontecimentos estúpidos. Talvez á custa do narcisismo daqueles que sempre admiraram a sua própria beleza (o que é ótimo para a auto-estima) ou, talvez o excesso de vaidade tenha causado problemas psicológicos e nunca ninguém se apercebeu disso. Sinceramente, talvez tenha sido melhor assim, não deu tanto nas vistas a incompetência. Bem, enquanto houver dinheiro para esbanjar está tudo bem. Tira-se curso – “Como destruir um património de 30 e muitos anos em três atos.” Não só revela falta de imaginação como parece adiar o inevitável. Não esquecendo que gente especial, não deu qualquer apoio a trabalhadores despedidos, gente que sempre gostou de disseminar a sua presença em muitos locais ao mesmo tempo. Agora tiveram de fazer um acordo e assim vão ter de pagar uma indeminização a cada trabalhador. São pessoas que pensam que já sabem tudo, e nunca se preocuparam em atualizar-se, não são adeptos de mudanças e inovações e nunca estão abertos a novas ideias. Muito menos ouvir opiniões diferentes. E põem defeito sempre nos outros. Quando se é medíocre a instituição nunca pode ser excelente. E mais num sector da economia como o sector portuário, que tudo tem a ver com a postura dos trabalhadores. Uma postura de colaboração. Não me parece que estes special ones tenham percebido que os portos já não podem ser mais do mesmo. Se eu tenho condições de segurança e higiene no trabalho longe vai a ideia que “ se eu estou colocado aqui, não tenho nada de ir para ali ” o porto não é nem nunca foi uma fábrica e não me lembro de ver o porto de Aveiro consolidado com vários clientes, foi sempre um porto de ciclos. Creio que gente special ones nunca percebeu isso. Nunca tiveram em mente que a estabilidade do posto de trabalho só depende dos trabalhadores. Quando se despede alguém e depois se vem pedir desculpa em modo de indeminização é realmente de bradar aos céus, e alguém tem de trabalhar para pagar tanto erro que se tem cometido. Talvez se tenha tirado o curso de retro escavadora, venham os do curso de máquina de pá para fechar tanto buraco.

EstivadoresAveiro disse...

Caro João,

tenho de concordar com algumas palavras que aqui nos deixou. Parece a ser conhecedor do que nos rodeia.
No entanto prefiro lembrar-me so mesmo das pessoas especiais no bom sentido da palavra.

Cumprimentos

O.Miguel