20 de abril de 2013

Não parece, mas é....

a resposta a um pedido de ajuda de um sócio do sindicato. A linguagem jurídica do último paragrafo é deveras interessante. Nem eu sabia que tinha jeito para linguagem jurídica.
 

2 comentários:

Fernando Gomes disse...



Caros Amigos e Companheiros:

Comparável com isto, só a prática dos "sindicatos estalinistas" e dos sindicatos sustentados pelo, e no
estado novo, o qual, perfaz hoje 39 anos, caiu na rua!!.

Desde quando se assume comocondição
necessária, para que um Sindicato preste apoio jurídico a um trabalha
-dor associado que o reclama, que
tal possibilidade esteja inscrita
nos estatutos?!!!Só numa situação!!


Nesta:Quando o despedimento de tra-
balhadores associados é desencadea-
do e patrocinado pelo próprio sin -
dicato!!!.

Uma vergonha jamais disfarçável!!!
e para sempre perpétua na história de mais de trinta anos de sindical
ismo no porto de Aveiro. Não foram patrões que despediram, mas um sin-
dicato, como parece por demais evi-
dente! Como é possível?!!!

Pare-se de perseguir trabalhadores
que perfilham opiniões diferentes e
exercem o seu direito de opção. No
mencionado estado novo, o tarrafal e outros conhecidos locais, consti-
tuiam o destino daqueles trabalha -
dores eoutros,que ousavam perfilhar
opinião diferente!!!. No porto de Aveiro a pena a cumprir por aqueles que pensam diferente, é a sua colo- cação diária,realizada note-se, pe-
lo próprio sindicato, nos tidos por
piores serviços!!!Para além de que,
quem pense diferente e toma outras
opções,a pena é ficar sem pão!!!.

Que sindicalismo é este?!!Quem o sustenta?!!.

Um abraço Amigo
Fernando da C. Gomes

25.04.2013



EstivadoresAveiro disse...

Obrigado senhor Fernando por partilhar a sua opinião com os nossos leitores.
Devo dizer também que, entreguei o recibo do advogado que me esta a defender, no dito processo da nota de culpa. Isto porque como sócios temos direito a 125 euros anuais para ajudas de custo com advogados. Quando entreguei o recebo ainda era sócio e no final do mês foi descontada a respetiva cota para este Sindicato. E pelo que vi, quando elaborei o parecer fiscal deste Sindicato pude verificar, depois da consulta de vários documentos que outros sócios tiveram esta ajuda de custo. Também não pude de deixar de reparar que os gastos em almoços, combustíveis e portagens eram de um valor exorbitante. Gastos estes que só mesmo uma empresa de topo deve ter. Mas nem essa ajuda tive, além de me mandarem um documento que não é meu, apesar de o envelope trazer a minha direção, no seu interior trazia um documento que pertence a outra pessoa. E mais grave que tudo isso, apesar de me "tentarem" mandar um documento sem ser em carta registada traz a seguinte frase no seu interior " Por razões obvias, fundamentadas e factuais, das quais nos dispensamos de as referir, procedemos à devolução de um documento seu que a este Sindicato não pertence. " Ora, apesar do documento não ser meu, como se pode verificar este Sindicato, fundamenta a sua decisão em duas frases. O que provavelmente vai de encontro as palavras ditas pelo senhor Fernando Gomes.
Abraço
O.Miguel