4 de janeiro de 2011

Venha 2011


O porto de Aveiro é fundamental para o desenvolvimento não só do município, como para toda a região de Aveiro. E antes que digam que eu estou a transformar este blog num espaço de promoção pessoal, vejo-me na obrigação de escrever sobre as conversas de porão, sobre coisas que nos vão na alma… Quando eu para aqui entrei, trabalhar no porto era motivo de orgulho e status para todos os que aqui trabalhavam, mas será que actualmente, esse orgulho ainda existe? Sou dos últimos que entraram, em que a profissão era transmitida de pai para filho, e quando o filho começava a trabalhar no porto, ele já vinha com motivação para exercer a profissão. Nas profissões que outrora, que eram dignas de registo, hoje em dia estão vulgarizadas, o que vai estando na moda, e assim a motivação fica distante. Por aqui sempre fomos praticando a polivalência, e mesmo assim sempre  sentimos que somos vulgares e que não agradamos. Sempre se pede mais ao trabalhador e reduz-se as suas regalias. Novo ano, nova moda. Como se sabe, neste novo ano quando não houver serviço de conferência que coloque todos os colegas, os conferentes vão passar a fazer de estivador quando for preciso, assim como os encarregados. Mas não basta ter boas intenções, é que a vida passa e podemos ser infelizes até ao fim apenas cultivando boas intenções. Por isso, é preciso que as boas intenções para este novo ano se tornem em acções, e as acções em sementes para que o fruto seja colhido. A intenção sem acção é pura e simplesmente uma mera repetição. O tempo passa, como areia que escorre entre os dedos das nossas mãos, e quando olhamos para o novo ano, estamos sempre à espera de nos tornarmos pessoas diferentes, mais felizes e melhores. Que neste novo ano, possamos assumir as responsabilidades da nossa culpa. É que nenhum ano será realmente novo se continuarmos a cometer os mesmos erros de anos anteriores. O nosso futuro ainda está por vir e, talvez, este 2011 seja o ano de viragem. E como dizia o poeta italiano Publilus Syrus “Tolo é aquele que afundou o seu navio duas vezes e ainda culpa o mar.” Temos que ter em mente que por muito grave que seja o problema, temos obrigação de encontrar sempre uma solução, e que toda mudança inicie um ciclo de construção. Neste novo ano, a ver vamos, se esta crise económica vai continuar a passar ao lado dos chamados grandes do nosso campeonato. Para este novo ano, realmente, não peço nada que não tenhamos…peço apenas para que nós não percamos mais nada.

Cumprimentos a toda a comunidade portuária
08

7 comentários:

Anónimo disse...

Realmente a nossa intenção, precisa de alguma acção para que os frutos apareçam

Orlando Miguel08 disse...

E que os patrões queiram também...

Herculano Matos disse...

Não tenho dúvidas que se vão operar, a nível dos quadros e da gestão da mão de obra portuária, alterações significativas, neste ano 2011, que a conjuntura obriga.Que essa mudança seja tranquila, sem pressões nem chantagem, dentro dos parâmetros legais e defesa dos interesses comuns.A nossa arma, como trabalhadores e pessoas, será o trabalho, a motivação e o diálogo.

Augusto disse...

Olá Orlando Miguel.Mais um texto realista e sentido.O Herculano Matos escreveu precisamente aquilo que penso,do alto dos meus quase 52 anos.
Mostremos aos patrões que somos capazes de sentir o pulsar do nosso trabalho e das inevitáveis mudanças.
Provemos que o nosso trabalho continua a precisar de braços e cabeças,de homens.Sem quebrar,caros companheiros.
Um abraço

Augusto

ACCS disse...

Certamente já se aperceberam que este ano de 2011 será sem sombra de dúvidas um ano de lutas laborais e sociais.
Devemos por isso estar mais unidos que nunca na procura tanto de objectivos como de soluções para os prolemas que vão surir de certeza.
Só com o esforço de todos , encontraremos soluções duradoiras e não soluções que alimentam os umbigos de cada interessado.

Cumprimentos

Anónimo disse...

E quem pensa que eles nos vão dar alguma coisa, está redondamente enganado

miguel27 disse...

parabens sr.orlando andas com um dom de escrita,nem o saramago....aquele abraço.(gilozinho)